Docilda

Aqui … com doçura, paixão e alegria, vida, sorrisos, sucesso e amor… sabedoria, esperança, caridade e diferenças, saudades, liberdade, dúvidas e certezas, …entre amigos ou família… quem sabe outras crenças …dias de sol ou de chuva… sem frescuras… dividimos…”segredos”.

{116} Pará de… (Baruch Espinosa) 15/03/2016

Filed under: Amor,Felicidade,Solidão — docilda @ 0:10

liberdade

“Pára de ficar rezando e batendo o peito!

O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.

Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que

Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste

e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias.

Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável:

Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que

tua sexualidade fosse algo mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu

amor, teu êxtase, tua alegria.

Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo.

Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus

amigos, nos olhos de teu filhinho…

Não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Pára de ter tanto medo de mim.

Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo.

Eu sou puro amor.

Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.

Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres,

de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.

Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?

Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos

que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?

Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei;

essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só

geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.

A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida,

que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho,

nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.

Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre.

Não há prêmios nem castigos.

Não há pecados nem virtudes.

Ninguém leva um placar.

Ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho.

Vive como se não o houvesse.

Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar,

de amar, de existir.

Assim, se não há nada,

terás aproveitado da oportunidade que te dei.

E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.

Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste…

Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar.

Eu não quero que acredites em mim.

Quero que me sintas em ti.

Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada,

quando agasalhas tua filhinha,

quando acaricias teu cachorro,

quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me!

Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?

Me aborrece que me louvem.

Me cansa que agradeçam.

Tu te sentes grato?

Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.

Te sentes olhado, surpreendido?…

Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te

ensinaram sobre mim.

A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo,

e que este mundo está cheio de maravilhas.

Para que precisas de mais milagres?

Para que tantas explicações?

Não me procures fora!

Não me acharás.

Procura-me dentro…

aí é que estou,

batendo em ti.

Baruch Espinosa (Filósofo-pensador [1632-1677])

Anúncios
 

{094}… Amor 03/02/2011

Filed under: Amor — docilda @ 21:43

Quem já não viveu um grande amor?
Uns deram vida, outros dores.
Um grande amor nunca morre, mesmo que seja pra ficar esquecido numa das tantas “gavetas” mentais.
Como alguém consegue dizer “não te amo mais” se na semana passada você era “tudo”?
Seria melhor ter coragem e dizer a verdade.
O amor pode acabar sem que se perceba.
Como?
Porque?
Acho que acaba pela falta de atenção, frases distorcidas ou mal interpretadas, falta de ligações inesperadas, mensagens ou chocolate na gaveta.
Acaba com a falta de confiança ou a inexistência dela….
O amor é como a vida biológica?
Tem um ciclo?
Existe um tempo de nascer e um tempo de morrer.
Para o amor também?
O pior do amor é quando ele passa…..

Mônica T.

 

[008]… Presente do QM (Querido Marido) 04/09/2009

Filed under: Amor,,QM,Solidão — docilda @ 23:29
Tags: ,

Porque a vida é uma linha recta

Março 9, 2008 por docildo

Somos guiados sim, pelo Creador, pelo amor, pela beleza, pela lágrima (nem sempre de tristeza)
Somos perseguidos também, pelos actos, pelo necessidade de amor, pela necessidade de ser feliz e saber apreciar o que é belo.
Somos gratos pelos actos de sabedoria, pelo sorriso, pelo prazer, pelo deleite do calor ao lado

Talvez afinal sejamos já em parte o que seremos no futuro
e pensando assim já antevejo o choro amado, em alto e bom som, os bibeirões feitos ao meio da madrugada, o cabelo lindamente desfeito caído ao lado (sim me refiro a mulher que amo) e que me conquista mais a cada dia quando simplesmente sorri.

Engraçado porque vim aqui falar de uma coisa e no entanto me emociono e troco o tema quando simplesmente penso que queremos um bebé, que um dia serei pai.
Engraçado como é belo e importante já deixar algo escrito aqui, como um marco para que ele saiba o quanto o amaremos.

piegas, lamexas talvez…

mas ainda assim… há amor também em actos como este.

42-17376035

 

[007]… Madredeus (Haja o que houver) 08/08/2009

Filed under: Amor,Madredeus — docilda @ 13:28
Tags: ,

aqui

Haja o que houver, eu estou aqui
Haja o que houver, espero por ti

Volta no vento o meu amor
Volta depressa, por favor

Ha quanto tempo já esqueci
Porque fiquei longe de ti

Cada momento é pior
Volta no vento por favor

Eu sei
Quem és para mim
Haja o que houver
Espero por ti

Ha quanto tempo já esqueci
Porque fiquei longe de ti

Cada momento é pior
Volta no vento por favor

Eu sei
Quem és para mim
Haja o que houver
Espero por ti

Eu sei, eu sei
Quem és para mim
Haja o que houver

Madredeus

(Essa música, particularmente me diz muita coisa, algo entre o inacreditável e o realizável… desde 2005)


 

[006]… Palavras 07/08/2009

Filed under: Amor,Citações — docilda @ 22:22
Tags:

pozinho

As palavras sempre ficam.
Se me disseres que me amas, acreditarei.
Mas se me escreveres que me amas, acreditarei ainda mais.
Se me falares da tua saudade, entenderei.
Mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.
Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei.
Mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor.
Lembre-se sempre do poder das palavras.
Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo.

{Silvana Duboc}

Desconheço o autor. Se alguém souber por favor avise, para dar-lhe os devidos créditos.

 

{076} Amor 19/07/2009

Filed under: Amor,Citações,Martha Medeiros — docilda @ 1:30
Tags: , , ,

42-15837063

Amor

Você está sozinho… Em frente a TV, devora dois pacotes de doritos enquanto espera o telefone tocar.
Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha…
Triiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiimmm
É a sua mãe, quem mais poderia ser?
Amor nenhum faz chamadas por telepatia.
Amor não atende com hora marcada.
Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase “galinha”, sem disposição para relacionamentos sérios.
Ele passa batido e você nem aí.
Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido, desconfiado, cheio de olheiras….
E o amor dá meia – volta, volver….
Por que o amor nunca chega na hora certa?
Agora, por exemplo…
Que você está de banho tomado, com camisa e jeans?
Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana?
Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz?
Agora que você está com o coração as moscas e morrendo de frio.
O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina.
Você passa uma festa inteira hipnotizando alguém que nem te enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos para você.
Ou então fica arrasado porque não foi à praia no final de semana.
Toda sua turma está lá, azarando-se uns aos outros.
Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida.
O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.
O jeito é redirecionar o radar, para norte, sul, leste e oeste.
Seu amor pode estar num corredor de supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole.
O amor está em todos os lugares, você que não procura direito!
A primeira lição está dada:
“O amor é onipresente!”
Agora, a segunda:
“… mas é imprevisível!”
Jamais espere ouvir “Eu te amo” num jantar à luz de velas no dia dos namorados.
Ou receber flores logo após a primeira transa.
O amor, odeia clichês.
Você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, às quatro da tarde… depois de uma discussão, por você ter gostado do filme e ele não…e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovada no teste de baliza…
Idealizar é sofrer!
Amar é surpreender!
Amem sempre, pois (não é mera pieguice) tudo passa, no fim, só o amor, permanece!

Martha Medeiros

 

{075} “Nem tudo é fácil”

42-18013718
É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas…
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o…
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga…
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça…
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o…
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida… Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos.
Mas também tornemos todos esses desejos, realidade!!!

Cecília Meireles (1901-1964)